• facebook
  • flickr
  • twitter
  • DENER PAMPLONA DE ABREU | A HISTÓRIA DE UM VESTIDO DE NOIVA

    Acessórios, Beauty, editorial, História da Moda, Modelagem, Pesquisa de Moda, Tendencias e Inspiração

    21/08/2013

     

    VESTIDO DE NOIVA DE REGINA FERREIRA EXECUTADO POR DENER

    (CASAMENTO 25 DE MARÇO DE 1971)

     

    O DESEJO DE TER UM VESTIDO EXECUTADO POR DENER:

    – Minha mãe já tinha a certeza de queria o seu vestido de noiva feito por Dener. Como ela já conhecia o assistente dele , Darcy, foi apresentada por ele ao Dener em seu atelier, que naquela época localizava-se na Alameda Franca. (isso foi no final dos anos 60, pois o casamento seria em março de 1971)

    – Depois da apresentação, ele extremamente detalhista perguntou o que minha mãe tinha em mente. Observando seu tipo físico, expôs suas idéias e desenhou ali na hora o vestido.

    – Minha mãe apaixonou-se pelo modelo e a partir de então não quis ver mais nada.

    NO ATELIER:

     

     

    – Dentro do atelier dele haviam suas iniciais espalhadas por vários ambientes e lugares todas monogramadas.

    – Dener era extremamente detalhista, arrojado e perfeccionista.

    – Tinha uma personalidade forte só pela maneira de andar já se notava. Gesticulava bastante e também muito temperamental.

    – Pela sua maneira de vestir mostrava ser extremamente excêntrico (como vários estilistas hoje em dia )

    – Usava também dentro do atelier um sapato, que parecia mais uma sapatilha, de veludo e de gáspea alta com a sua inicial em dourado.

    – Dener somente aparece nas últimas provas do vestido (que são um total de 6 provas). As outras provas assim como todos seus vestidos eram feitos pela sua contra mestra que também era extremamente detalhista como ele.

    AS PROVAS DO VESTIDO:

     

     

    – A primeira prova foi feita com uma tela;

    – A segunda prova com a mesma tela mas já com a estrutura do vestido;

    – As terceiras e quartas provas já são com o tecido para os detalhes finais;

    – A quinta prova foi feita com o chapéu escolhido e sugerido pelo Dener, que então coloca o véu de acordo, onde é executado exatamente como ele havia colocado.

    – Sexta e última prova foi com a minha mãe toda vestida inclusive com os sapatos.

    DETALHES DO VESTIDO:

     

    – O design do vestido foi completamente o oposto do que se usava na época, onde o que era muito usado eram grinaldas, vestidos bordados, flores na cabeça, etc.

    – Como pode ver nas fotos era um vestido encorpado, onde para se conseguir essa estrutura toda foi feito com entretelas, espuma, tule, forro e um tecido bem incorpado e pesado. O vestido pesava bastante por causa disso tudo.

    – O tecido era do Dener minha mãe não se lembra o tipo do tecido, somente que era pesado e bem encorpado.

    – Havia bolsos e um cinto no vestido, como pode ver na foto.

    – Na cauda do vestido foi colocado um suporte no qual ela podia levantar a cauda sobre o braço, que ficava de uma maneira majestosa para que ela pudesse andar pelo salão de festas e também dançar a valsa, por causa do peso do vestido.

    – O chapéu foi algo inédito para a época, pois todas as noivas, ou seja, em sua maioria, casavam-se de grinalda.

    – O chapéu era de rafia (uma espécie de palinha) e camélias . Esse chapéu ele possuia no seu atelier, de uma chapeleira que trabalhava com ele – Madame Marte.

    – O chapéu era um legítimo Yves Saint Laurent.

    – O sapato era forrado com o tecido do vestido.

    – O buquê foi sugestão dele, todo de orquídeas naturais. Note na foto que eram orquídeas bem diferentes!!!

    SUGESTÕES DELE QUE FORAM SEGUIDAS FIELMENTE:

     

    – O maquiador foi sugerido por Darcy (seu assistente). Esse maquiador era Juvenal Frizzo que trabalhava muito com o Dener e que foi a casa de minha mãe para maquiá-la.

    – O cabeleireiro era do Colonial Cabeleireiros ( muito famoso na época), que tb foi a sua casa arrumá-la.

    Os brincos- nas fotos pode reparar nos brincos. Naquela época as noivas costumavam colocar brincos discretos, geralmente solitários.  Dener perguntou a minha mãe que tipo de brincos ela possuía e ao levar a ele foi sugerido os brincos de pérolas barrocas rodeados de brilhante. Eram brincos bem grandes e nenhum pouco discretos para a época mas que caíram como uma luva!!!!

    O GRANDE DIA:

    – No dia do casamento Darcy e um assistente foram a casa de minha mãe para ajudá-la a vestir-se e arrumar o vestido para as fotos .

    – Darcy acompanhou até a Igreja e participou da festa também mas aí como amigo pessoal que era de minha mãe.

    Eu como filha, nem preciso dizer que reviver com ela esses momentos maravilhosos, para mim foram muito emociantes. Dener pela sua maneira de ser, arrojadíssimo para a época acabou por fazer um vestido para minha mãe que sinceramente hoje não estaria fora de moda, pelo seu jeito arrojado de ser e criar.

    Espero que com esse pequeno acervo que possuímos dele (na minha opinião um dos nossos maiores ícones da moda) possamos inspirar aos vários estilistas maravilhosos que possuímos hoje, pois sabemos que infelizmente o acervo de Dener é muito pequeno!!!

    Fabíola S. Ferreira (Fabíola é designer de jóias e adora história da moda) Fotos: Álbum da família

     

    Eu adoreis está história por várias razões:  Me mostrou todo o detelhamento e planejamento da execução de um vestido da alta custura brasileira. Me mostrou um pouco mais quem foi Dener e minha admiração cresceu mais. A dona do vestido, minha amiga, Regina Ferreira está ainda mais linda e a filhota dela Fabíola (grande e queridíssima amiga esta feliz encondidinha, curtindo seu novo casamento), adoro as duas e adoro ter conseguido esta história. Paulo Fernando – Comunidade Moda  

    CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

    www.comunidademoda.com.br

    Artigos Relacionados:

    Visual e Merchandising - Vitrines de Natal
    Diesel Denim - Inverno 2012 - Tendência Jeans
    Raquel Zimmermann por Steven Meisel para a Vogue Itália